Arquivos da categoria: Processamento Auditivo

  • 0

Telefone sem fio: brincadeira para estimular a fala e audição.

 

Telefone sem fio

Quem nunca brincou de Telefone sem fio?

Ou com fio? 

 

Costumo dizer que essa é uma brincadeira “de Fono”, pois em uma simples diversão podemos alcançar muitos objetivos para estimular a fala e audição.

Primeiramente, a alegria de montar seu próprio brinquedo. Hoje a maioria das crianças vive cheia de brinquedos caríssimos, com tantos acessórios (que se perdem em uma semana!) e muitos aparelhos tecnológicos. São legais e importantes? Claro! Mas nada substitui a “mão na massa” e o prazer de participar da construção.

A criança só sabe valorizar aquilo que faz parte da sua vida.

Óbvio né?  Então vamos pensar mais no óbvio!!!

Temos também o falar baixinho, esperar a sua vez de falar, controlar a ansiedade, o ouvir com atenção, se concentrar no amiguinho, decodificar o que ouviu, associar o que ouviu, raciocinar, emitir a resposta, articular bem para que o próximo entenda, tampar a boca para que ninguém tente trapacear, não se atrapalhar com o barulho dos amigos quando vai ouvir a mensagem no ouvido, inventar uma outra palavra quando você não imagina o que o outro falou e, se você for o último, falar em voz alta sabendo que todos vão rir e achar engraçado. Nisso podemos trabalhar aspectos emocionais, como segurança, confiança, autoestima, saber perder, aceitar errar, compartilhar liderança… e por aí vai.

Viu só que interessante?  São muitos resultados alcançados e estimulados em uma brincadeira aparentemente simples, sem recursos caros. Você só precisa de alguns minutinhos. Podemos fazer muito para estimular nossas crianças, com quase nada!

Espero que aproveite essa dica e articule bem as palavras com o seu filho nessas férias. Ensino-o a falar dando exemplos durante a brincadeira. Não é necessário dizer “não é assim, filho!” Apenas diga o correto: Ah… você quer o telefone agora! Ou agora é a sua vez. E não se esqueça de esperar o tempo de resposta dele. Não se afobe. Tenha paciência. Algumas crianças são observadoras e demoram mais para responder.

Esperar… é um ótimo desafio para adultos!

Um abraço enorme!!!!

Com carinho, Guaciara

 

#guaciarafornaciari

#doutoraescola

#fonoaudiologia


  • 0

É uma Criança Ativa ou Criança Passiva?

Bom dia pessoal!!!

Após a última publicação (sobre as 40 características do DPAC), algumas pessoas me perguntaram como é possível em uma mesma dificuldade aparecer um sintoma de agitação excessiva e ao mesmo tempo a criança ser introspectiva e deprimida (itens 18, 19 e 20) ou a criança ter a necessidade de falar sem parar e ao mesmo tempo ter vergonha de falar (itens 18, 22 e 23).

 

Então hoje eu vou esclarecer:
E agora- Criança ativa ou passiva-
Existem duas situações que eu considero importantes na identificação do Distúrbio de Processamento Auditivo Central: a pessoa ativa e a pessoa passiva.
***Pessoa ativa é aquela que no caso do processamento auditivo se confunde com a hiperatividade. Demonstra agitação, é impulsiva e não pensa para agir, tem necessidade de falar o tempo todo, é repetitiva, não termina os assuntos, interrompe a conversa das pessoas, mexe-se muito na cadeira, senta-se sobre os pés, tem o traçado dos desenhos grandes, a letra também é grande, não gosta de fazer letra cursiva, entre outros sintomas.
***Pessoa passiva é aquela que se confunde com a deprimida, lenta ou “preguiçosa”. Logicamente esse não é o termo correto. Falo aqui em uma linguagem simples, para que você não tenha dúvidas e, de fato, eu possa te ajudar a identificar. É a pessoa que fica te olhando enquanto você fala, mas está “no mundo da lua”, demonstra dificuldade para iniciar atividades, não se interessa por jogos e brincadeiras que necessitem de muitas regras, tem poucos amigos, deita-se sobre a mesa para fazer tarefas escolares, entre outros.

Agora você conseguirá ver claramente a diferença e, se ainda tiver dúvidas, mande uma mensagem para trocarmos informações.

Grande abraço e até a próxima.

Gratidão.
Guaciara 😉

#guaciarafornaciari #doutoraescola #fonoaudiologia


  • 0

Reserve um tempo para ouvir seus alunos

Olá amigos!

Ouvir é uma palavra maravilhosa que, a meu ver, possui diversos sentidos. Podemos ouvir a voz falada; o som de uma música; o canto dos pássaros; o som de buzinas, carros e caminhões no trânsito. Podemos ouvir a “voz do coração”; “ouvir a emoção”. Também podemos ouvir um choro ou um pedido de socorro mesmo que seja somente pelo olhar.

É sensacional!!!

E quando você ouve o seu aluno, seja na rodinha de acolhida ou durante a aula, você conseguirá observar aspectos importantes para avaliar o seu desenvolvimento. Ouvir o aluno te ajudará no seu planejamento de aula e você conseguirá saber se ele está entendendo o que você quer ensinar. Ouvir permite que você aprenda com ele e com sua família.

Então, meu recado para você hoje é:

1. Permita-se aprender todos os dias (com as crianças, adolescentes, adultos e idosos).
2. Seja flexível.
3. (Re)Construa o conhecimento a partir do “ouvir”.
4. Ouça muito mais…
5. E respeite a “voz do coração”.

Um abraço enorme, querendo ouvir o que você tem a me dizer!
Com gratidão.
Gua Emoticon wink

‪#‎guaciarafornaciari‬‪#‎doutoraescola‬‪#‎fonoaudiologia‬

13174002_1224064977611204_4515936129831580972_n


  • 0

Você pensa naquele aluno que “não entende nada”?

Quando você faz o planejamento semanal das suas aulas,

 

 

Para que tudo dê certo na sua aula é preciso que você tenha, além de amor à profissão, cuidado com o seu aluno com Distúrbio do Processamento Auditivo Central – DPAC.

Fala-se muito em incluir alunos com necessidades especiais, porém há muitos professores que ainda não perceberam que incluir refere-se a TUDO!!! E o aluno com DPAC tem Necessidades EDUCATIVAS Especiais. Sendo assim, é fundamental que você provoque nele o interesse pela sua aula.

* Você já tentou fazer uma roda, todos sentados no chão e o seu aluno com Dificuldade de Processamento ficar bem ao seu lado para que você possa “lembra-lo de escutar ou prestar a atenção” com uma âncora cinestésica?

Observação: Âncora cinestésica é o termo correto para se referir a um estado desejado ou para manter/lembrar o aluno sobre o estado ideal e focado, em que se toca o braço em um lugar específico.

* Ou então que esse aluno fique em uma posição na roda em que veja claramente o seu rosto, o movimento dos seus lábios e o seu olhar procurando o dele o tempo todo?

Querido(a) professor(a), não deixe de acompanhar os posts sobre Processamento Auditivo, pois tenho certeza que vamos trocar muitas informações e dicas interessantes!

Abraço com gratidão!
Guaciara

#guaciarafornaciari

#doutoraescola

#fonoaudiologia